Fake News em Saúde - BR 2019

570 resposta(s)

Por favor, informe a sua idade:

570 de 570 pessoas responderam

1
Entre 36-45 anos
34%/ 195 resp.
2
Entre 26-35 anos
28%/ 165 resp.
3
Entre 46-55 anos
17%/ 98 resp.
4
Entre 56-65 anos
11%/ 66 resp.
5
Mais de 65 anos
4%/ 26 resp.
6
Entre 18-25 anos
3%/ 19 resp.
7
Menor de 18 anos
0%/ 1 resp.

Por favor, informe sua especialidade:

569 de 570 pessoas responderam

1
Psicólogos
20%/ 118 resp.
2
Dentistas
7%/ 45 resp.
3
Ginecologistas
6%/ 39 resp.
4
Oftalmologistas
4%/ 28 resp.
5
Ortopedistas - Traumatologistas
3%/ 22 resp.
6
Dermatologistas
3%/ 20 resp.
7
Psiquiatras
3%/ 20 resp.
8
Cardiologistas
3%/ 19 resp.
9
Cirurgiões plásticos
3%/ 18 resp.
10
Endocrinologistas
3%/ 17 resp.
11
Nutricionistas
2%/ 15 resp.
12
Psicanalistas
2%/ 15 resp.
13
Urologistas
2%/ 15 resp.
14
Otorrinos
2%/ 13 resp.
15
Cirurgiões do aparelho digestivo
1%/ 9 resp.
16
Cirurgiões gerais
1%/ 9 resp.
17
Neurocirurgiões
1%/ 8 resp.
18
Pediatras
1%/ 8 resp.
19
Reumatologistas
1%/ 7 resp.
20
Cirurgiões buco-maxilo-faciais
1%/ 6 resp.
21
Cirurgiões vasculares
1%/ 6 resp.
22
Fisioterapeutas
1%/ 6 resp.
23
Geriatras
1%/ 6 resp.
24
Mastologistas
1%/ 6 resp.
25
Neurologistas
1%/ 6 resp.
26
Cirurgiões de cabeça e pescoço
0%/ 5 resp.
27
Coloproctologistas
0%/ 5 resp.
28
Infectologistas
0%/ 5 resp.
29
Oncologistas
0%/ 5 resp.
30
Cirurgiões da mão
0%/ 4 resp.
31
Cirurgiões oncológicos
0%/ 4 resp.
32
Endoscopistas
0%/ 4 resp.
33
Fonoaudiólogos
0%/ 4 resp.
34
Homeopatas
0%/ 4 resp.
35
Anestesiologistas
0%/ 3 resp.
36
Especialistas em Terapias Complementares
0%/ 3 resp.
37
Gastroenterologistas
0%/ 3 resp.
38
Psicopedagogos
0%/ 3 resp.
39
Alergistas
0%/ 2 resp.
40
Angiologistas
0%/ 2 resp.
41
Cirurgiões pediátricos
0%/ 2 resp.
42
Especialistas em Dor
0%/ 2 resp.
43
Generalistas
0%/ 2 resp.
44
Médicos clínicos
0%/ 2 resp.
45
Médicos peritos
0%/ 2 resp.
46
Nefrologistas
0%/ 2 resp.
47
Pneumologistas
0%/ 2 resp.
48
Sexólogos
0%/ 2 resp.
49
Cirurgiões cardiovasculares
0%/ 1 resp.
50
Cirurgiões cranio-maxilo-faciais
0%/ 1 resp.
51
Endocrinologistas pediátricos
0%/ 1 resp.
52
Enfermeiros
0%/ 1 resp.
53
Especialistas em Administração em Saúde
0%/ 1 resp.
54
Hematologistas
0%/ 1 resp.
55
Internistas
0%/ 1 resp.
56
Médicos de família
0%/ 1 resp.
57
Médicos do esporte
0%/ 1 resp.
58
Neurologistas infantis
0%/ 1 resp.
59
Nutrólogos
0%/ 1 resp.
60
Podólogos
0%/ 1 resp.
61
Terapeutas ocupacionais
0%/ 1 resp.
62
Anátomopatologistas
0%/ 0 resp.
63
Cirurgiões torácicos
0%/ 0 resp.
64
Especialistas em Diagnóstico por imagem
0%/ 0 resp.
65
Especialistas em Medicina Estética
0%/ 0 resp.
66
Especialistas em Medicina Física e Reabilitação
0%/ 0 resp.
67
Especialistas em Medicina Nuclear
0%/ 0 resp.
68
Especialistas em Medicina Preventiva
0%/ 0 resp.
69
Geneticistas
0%/ 0 resp.
70
Intensivistas
0%/ 0 resp.
71
Medicos do Sono
0%/ 0 resp.
72
Médicos Acupunturistas
0%/ 0 resp.
73
Médicos de tráfego
0%/ 0 resp.
74
Médicos de urgência
0%/ 0 resp.
75
Médicos do trabalho
0%/ 0 resp.
76
Neurofisiologistas
0%/ 0 resp.
77
Optometristas
0%/ 0 resp.
78
Osteopatas
0%/ 0 resp.
79
Outro
0%/ 0 resp.
80
Patologistas clinicos
0%/ 0 resp.
81
Quiropraxistas
0%/ 0 resp.
82
Radiologistas
0%/ 0 resp.
83
Radioterapeutas
0%/ 0 resp.
84
Other
0%/ 3 resp.

Em qual estado reside?

569 de 570 pessoas responderam

1
São Paulo
31%/ 179 resp.
2
Rio de Janeiro
17%/ 98 resp.
3
Minas Gerais
10%/ 59 resp.
4
Paraná
9%/ 52 resp.
5
Distrito Federal
4%/ 28 resp.
6
Rio Grande do Sul
4%/ 24 resp.
7
Goiás
4%/ 23 resp.
8
Bahia
3%/ 19 resp.
9
Santa Catarina
3%/ 18 resp.
10
Pernambuco
3%/ 17 resp.
11
Ceará
2%/ 12 resp.
12
Maranhão
1%/ 7 resp.
13
Mato Grosso do Sul
0%/ 5 resp.
14
Espírito Santo
0%/ 4 resp.
15
Mato Grosso
0%/ 4 resp.
16
Paraíba
0%/ 4 resp.
17
Piauí
0%/ 4 resp.
18
Rio Grande do Norte
0%/ 3 resp.
19
Sergipe
0%/ 3 resp.
20
Amazonas
0%/ 2 resp.
21
Rondônia
0%/ 2 resp.
22
Pará
0%/ 1 resp.
23
Roraima
0%/ 1 resp.
24
Acre
0%/ 0 resp.
25
Alagoas
0%/ 0 resp.
26
Amapá
0%/ 0 resp.
27
Tocantins
0%/ 0 resp.

No último ano, atendeu pacientes preocupados com algo que ao final se concluiu ser um boato, uma informação falsa sobre saúde?

569 de 570 pessoas responderam

1
Yes
74%/ 422 resp.
2
No
25%/ 147 resp.

Com base em sua experiência, detectou um aumento dos boatos sobre saúde que circulam entre os pacientes?

569 de 570 pessoas responderam

1
Yes
72%/ 412 resp.
2
No
27%/ 157 resp.

A que você atribui esse aumento?

412 de 570 pessoas responderam

1
Aos novos canais de comunicação imediatos (WhatsApp, Redes Sociais, etc) que permitem a difusão mais rápida dos boatos
87%/ 362 resp.
2
Aos meios de comunicação (TV, rádio, jornais...) que contribuem com a difusão destes boatos sem validar previamente sua veracidade
10%/ 44 resp.
3
Other
1%/ 6 resp.

Através de qual canal acredita que os boatos chegam ao paciente?

569 de 570 pessoas responderam

1
Redes Sociais (Facebook, Twitter, Instagram, YouTube...)
62%/ 353 resp.
2
WhatsApp ou aplicativos de mensagens similares
57%/ 325 resp.
3
Internet
48%/ 277 resp.
4
Círculo próximo (família, amigos, colegas de trabalho...)
33%/ 191 resp.
5
Televisão
12%/ 73 resp.
6
Imprensa (jornais, revistas, etc)
10%/ 61 resp.
7
Rádio
3%/ 17 resp.
8
Other
0%/ 1 resp.

Sobre quais temas de saúde acredita que surjam mais boatos?

569 de 570 pessoas responderam

1
Terapias Alternativas
62%/ 356 resp.
2
Alimentação
45%/ 257 resp.
3
Câncer
38%/ 217 resp.
4
Efeitos adversos de medicamentos
34%/ 197 resp.
5
Sexualidade
15%/ 88 resp.
6
Dor
11%/ 66 resp.
7
Intoxicações por medicamentos
10%/ 60 resp.
8
Other
7%/ 40 resp.

O que você faz quando um paciente comenta sobre um boato, uma informação falsa sobre saúde, durante a consulta?

569 de 570 pessoas responderam

1
Explico porque é mentira, com dados ou argumentos respaldados cientificamente
75%/ 432 resp.
2
Me encarrego de confirmar se o boato realmente é uma informação sem fundamento
19%/ 111 resp.
3
Recomendo ignorar a informação
3%/ 20 resp.
4
Other
1%/ 6 resp.

Costuma recomendar páginas web ou aplicativos aos seus pacientes para que esclareçam suas dúvidas sobre saúde?

569 de 570 pessoas responderam

1
Yes
37%/ 215 resp.
2
No
62%/ 354 resp.

Acredita que a Internet é um lugar seguro para buscar informação sobre saúde?

569 de 570 pessoas responderam

1
Yes
37%/ 214 resp.
2
No
62%/ 355 resp.

Por que?

355 de 570 pessoas responderam

1
Na Internet circulam muitos boatos sobre saúde
47%/ 167 resp.
2
A informação na Internet não está conferida ou validada por especialistas
46%/ 165 resp.
3
A informação na Internet não está atualizada
1%/ 5 resp.
4
Other
5%/ 18 resp.

Gostaria de receber formação para melhor combater as falsas crenças de seus pacientes?

569 de 570 pessoas responderam

1
Yes
75%/ 427 resp.
2
No
25%/ 142 resp.

Acredita que os pacientes deveriam receber formação para distinguir os boatos das informações verdadeiras?

569 de 570 pessoas responderam

1
Yes
90%/ 515 resp.
2
No
9%/ 54 resp.

Acredita que os gestores públicos deveriam tomar medidas para vigiar estes boatos?

569 de 570 pessoas responderam

1
Yes
90%/ 514 resp.
2
No
9%/ 55 resp.

Acredita que os meios de comunicação são suficientemente rigorosos na hora de validar a informação que divulgam sobre saúde?

569 de 570 pessoas responderam

1
Yes
8%/ 49 resp.
2
No
91%/ 520 resp.

Acredita que nas redes sociais e na Internet faltam mais medidas de segurança para verificar e restringir a informação sobre saúde, com o objetivo de que seja verdadeira?

569 de 570 pessoas responderam

1
Yes
93%/ 529 resp.
2
No
7%/ 40 resp.

Particularmente, exerce alguma atividade para amenizar os boatos sobre saúde?

569 de 570 pessoas responderam

1
Yes
46%/ 265 resp.
2
No
53%/ 304 resp.

Quais atividades exerce para amenizar os boatos?

265 de 570 pessoas responderam

1
Explico, dou "uma aula" durante a consulta
70%/ 186 resp.
2
Utilizo as redes sociais para esclarecê-los
53%/ 142 resp.
3
Dou "aulas" fora da consulta, no meu círculo mais próximo (família, amigos, colegas de trabalho)
40%/ 106 resp.
4
Tenho um blog pessoal no qual publico informação sobre boatos
15%/ 42 resp.
5
Other
4%/ 13 resp.